Manhattan x Maratham

Textos

SAUDADES
Amigos,
Tenho buscado na escrita uma forma de libertar a necessidade selvagem que tenho de fazer uma quebra da existência concreta,  para depois me reconciliar com a vida apesar de suas dores e decepções. Esses momentos são capazes de devolver os pássaros aos meus dias e as estrelas à minha noite e nesses momentos me lembro de pessoas que conheci  e e que me inspiraram a buscar o melhor em mim. Sei que mesmo quando elas se  afastarem não serei triste, pois o melhor delas estará em mim também.  
Quando estou longe sinto saudades, então fiz uma poesia  (anexa)em homenagem.
  Um abraço a vocês.

SAUDADES

De repente,
nada mais do que o vazio
ou a plenitude de um desgosto
com o gosto de solidão.

E a tarde caminha indiferente
sob meu passo lento.

E a tarde, vestida de azul,
estampado de nuvens,
arranca “suspiros fundos”
das árvores ao vento.

De repente,
nada mais do que um vazio
ou a plenitude surpreendente
de um amigo ausente.

E a cidade, feito poema,
compõe um verso concreto,
ao dobrar a cada esquina.

E o vento,
caminhando pela tarde
entre as estrofes verticais
do poema cidade,
inspira versos de saudade.


IZA Bernardo Ferreira
Enviado por Defranco em 15/01/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras