Manhattan x Maratham

Textos

COMIGO FAÇAM ASSIM
Recentemente perdi dois grandes amigos, um deles meu irmão. Ando impressionado com os rituais que precedem e se sucedem à morte.

Quanto aos fatos que precedem a morte, estando lúcido, espero que os meus desejos sejam atendidos pelos meus familiares, após, vou deixar recomendações, mas nestas não serei mais senhor de mim. Então vamos lá:

- Estando internado e lúcido, por favor, nenhuma restrição às visitas, deixem os amigos, parentes ou não, doar o seu tempo para mim;

- Nenhum assunto proibido, vamos rir e chorar juntos, não há necessidade de esconder as lágrimas. Já vivi bastante para partir sem arrependimentos de não ter feito algo, já criei meus filhos, plantei árvores e escrevi livros, portanto estou preparado.

- Se possível e ainda minha mãe estando viva, soneguem a ela qualquer informação da minha saúde e quanto a minha ida pro outro lado, digam que viajei para além mar, sem data de retorno.

- Restrição alimentar, nem pensar, já terei passado a média de idade dos brasileiros, não me tirem este prazer.

- Amigos doem seu tempo para mim, falarei mal daqueles que não aparecer e não levarei as boas recomendações sobre vocês lá pra cima;

- Não estando consciente e com chances mínimas de retornar à lucidez, por favor, não prolonguem nada, deixem-me ir, manso e suave. Desliguem as máquinas, de controle de pressão, batimento cardíaco, soros, etc.

Pós morte:
- Não há necessidade dos amigos que não conhecem meus familiares comparecerem ao funeral, não sentirei nenhuma falta de vocês.

- O dinheiro que porventura você pretendeu gastar numa coroa de flores faça uma doação a alguma instituição que cuida de pessoas abandonadas, menores ou maiores, não tenho mais olhos para flores.

- Não quero virar comida de vermes, prefiro ser incinerado e as cinzas jogadas nos rios das cinzas, ou adubando algum pé de amora, abacate ou de banana no meio do mato para que um pouco de mim voe com os pássaros ou pule de árvore em árvore com os macacos.

- Não há necessidade de nenhuma homenagem, nem cânticos preferidos, não terei ouvidos para eles.

Portanto amigos, enquanto estiver aqui, venham me visitar, gastem o seu tempo comigo, vamos jogar conversa fora, tomar todas, esquentar o frio, e gelar a goela, dar muita risada e se tiver que chorar, choraremos, por que não?

Um abraço amigo, amigos.

Defranco
Enviado por Defranco em 29/07/2011
Alterado em 26/02/2016
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras