Manhattan x Maratham

Textos

INFELICIDADES AO ESCREVER
A palavra falada não tem como voltar atrás, mas não fica registrada, salvo as gravações. A palavra escrita fica para sempre. Um e-mail enviado em um momento infeliz, foi-se.

Quando a gente verbaliza, todos entendem que conforme a entonação nada a ver com o que foi verbalizado, não é? Quantas vezes alguém xinga feio a mãe do outro, mas nada tinha a ver com a mãe, as vezes pode ser até um elogio. Na palavra escrita não, não há entonação, escreveu é preto no branco.

Em um grupo familiar, chamei uma irmã de “sua bocó”, se a gente estivesse juntos aquela "sua bocó" teria como resposta, no máximo, ela me mostraria a língua ou me daria um tapinha no ombro e ambos riríamos e estava esquecida a questão. Mas, escrito em uma mensagem eletrônica não, um monte de sobrinhos tomaram as dores da tia querida e eu tive que me retratar em publico, gerando este texto.

E os erros de português? Quando escritos ficam registrados, quando falados, a maioria passa despercebidos. Eu escrevo bastante porque preciso treinar e tirar meus erros atávicos, engulo os "s". Em uma crônica recente, por exemplo, escrevi "voltamos morto de fome" enquanto devia escrever "voltamos mortos de fome", escrevi "sobre protestos" quando devia ter escrito "sob protestos". Tinha revisado, mas me escapou. Acho que não devia ter escrito isto aqui, pois se não perceberam meus erros, agora eu os ressaltei e deixei registrado. E, e ainda tem a nova reforma ortográfica.

Mas tem o lado bom, não é? Antes, uma filha de um primo era para mim apenas a filha mais velha dele, agora percebo nela, depois de sua participação no grupo, sensibilidade, uma mãe zelosa, tem as mesmas querências do que muitos de nos relativamente às coisas de campo e herdou do avô e do pai o gosto literário e o escrever bem... O tio, que já partiu, fala com a gente através de suas poesias. Primos distantes trazendo-nos a memória suas marcas registradas.

Um abraço para quem é de abraço e um beijo para quem é de beijo,
Defranco
Enviado por Defranco em 21/06/2011
Alterado em 26/02/2016
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras